Competências Financeiras: A Importância Percebida por Profissionais de Secretariado

Fernando Aguiar Camargo, Edson Ricardo Barbero

Resumo


As mudanças econômicas e políticas afetam a maneira de gerir das empresas e exigem, cada vez mais, profissionais capacitados e que consigam desenvolver competências distintas. O profissional de secretariado caracteriza-se por apresentar conhecimento generalista em diferentes áreas do conhecimento. Porém, não há, na literatura, um trabalho que explore as competências financeiras desse profissional. Nesse contexto, o anseio do presente artigo é contribuir para a percepção da importância das competências financeiras na rotina do profissional de secretariado, por meio de investigação empírica em uma amostra de 272 profissionais. Foram utilizadas, para tal, técnicas de estatística descritiva, análise fatorial exploratória e regressões múltiplas. Como resultado, foram identificadas as oito principais competências financeiras inerentes a esse profissional: 1ª) solicitar orçamentos e cotações; 2ª) negociar com clientes e/ou fornecedores, considerando a política financeira da organização; 3ª) elaborar relatórios para tomada de decisões com base nos orçamentos e preços; 4ª) elaborar relatórios para reembolso de despesas, considerando a política financeira da organização; 5ª) manusear planilhas eletrônicas (Excel) para cálculos financeiros; 6ª) interpretar informações que contenham juros e/ou acréscimos; 7ª) manusear calculadoras convencionais (operações simples) e 8ª) interpretar informações que contenham descontos. Desenvolveu-se, ainda, uma proposta de Escala de Competências Financeiras para Profissionais de Secretariado. Por fim, as contribuições são: facilitar a identificação das principais competências financeiras, inclusive para a área de recursos humanos, identificando assim profissionais mais preparados e guiar as instituições de ensino que oferecem os cursos de secretariado para identificar se as competências financeiras aqui apontadas são trabalhadas nos cursos.


Palavras-chave


Profissional de secretariado; Finanças; Competências financeiras; Análise fatorial exploratória; Escala de competências financeiras para profissionais de secretariado

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, R. (2010). Os territórios de uma profissão: Secretariado Executivo. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, 1(1), 26-36.

Barros, C. D. M. P.; Silva, J. S.; Lima, G. A.; & Brito, D. G. S. (2013). As competências gerenciais desenvolvidas pelos secretários executivos. Revista de Gestão e Secretariado, 4(2), 25-47.

Bilert, V. S. & Biscoli, F. V. (2012). Perfil dos discentes (ingressantes e concluintes) de Secretariado Executivo: Um estudo comparativo nas instituições de ensino superior (IES) públicas. Revista de Gestão e Secretariado, 2(2), 33-57.

Bonzanini, S. H. S. (2011). O profissional de secretariado executivo nas relações internacionais. Revista de Gestão e Secretariado, 1(2), 142-161.

Boyatzis, R. E. (2008). Competencies in the 21st century. Journal of Management Development, 27(1), 5-12.

Campos, H., Jr.; Barbero, E. R.; & Lourenço, C. E. (2015, novembro). Validação nomológica de escala multidimensional para maturidade da indústria: Evidências empíricas no Brasil.

Anais dos Seminários em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 18. Recuperado de http://sistema.semead.com.br/18semead/resultado/trabalhosPDF/729.pdf

Cardoso, R. L.; Riccio, E. L.; & Albuquerque, L. G. (2009). Competências do contador: Um estudo sobre a existência de uma estrutura de interdependência. Revista de Administração - RAUSP, 44(4), 365-379.

Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (2011). Plano de curso para a habilitação profissional de técnico em secretariado. Recuperado de http://www.etelg.com.br/paginaete/cursos/planos/planocurso/pc_secretariado.pdf.

Cielo, I. D. & Cielo, L. C. (2007). A importância dos conhecimentos em gestão financeira para os profissionais de secretariado executivo. Revista Expectativa, 5(5), 147-155.

Cielo, I. D.; Schmidt, C. M.; & Wenningkamp, K. R. (2014). Secretariado executivo no Brasil: Quo Vadis? Revista de Gestão e Secretariado, 5(3), 49-70.

Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, aprovada pela Portaria Ministerial 397, de 9 de outubro de 2002. Recuperado de http://www.mtecbo.gov.br/

Cooper, D. R. & Schindler, P. S. (2016). Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: McGraw Hill Brasil.

Costa, L. V. (2013). Construção e validação de uma escala de percepção de sucesso na carreira. Revista de Carreiras e Pessoas (ReCaPe), 3(1), 2-19.

Damásio, B. F. (2012). Uso da análise fatorial exploratória em psicologia. Avaliação Psicológica, 11(2), 213-228.

Dodman, M. (2016). Knowledge and competence. Key concepts in an educational paradigm for a sustainable society. Visions for Sustainability, 5, 15-27.

Dutra, J. S.; Hipólito, J. A. M.; & Silva, C. M. (2000). Gestão de pessoas por competências: O caso de uma empresa do setor de telecomunicações. Revista de Administração Contemporânea, 4(1), 161-176.

Euflausino, E. & Silva, J. O. (2015). A imagem do profissional de Secretariado Executivo em anúncios publicitários. Revista Unifamma, 14(2), 1-18. Recuperado de http://revista.famma.br/unifamma/index.php/RevUNIFAMMA/article/view/176/110.

Faria, D. S.; Baêta, O. V.; & Faria, D. A. (2015). Secretariado Executivo: Análise bibliográfica do perfil requerido pelo mercado de trabalho. Revista de Ciências Jurídicas e Empresariais, 13(2), 117-122.

Fernandes, B. H. R.; Fleury, M. T. L.; & Mills, J. (2006). Construindo o diálogo entre competência, recursos e desempenho organizacional. RAE-Revista de Administração de Empresas, 46(4), 48-65.

Ferraz, A. P. C. M. & Belhot, R. V. (2010). Taxonomia de Bloom: Revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, 17(2), 421-431

Fleury, M. T. L. & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, 5(spe), 183-196.

Fleury, M. T. L. & Fleury, A. C. C. (2004). Alinhando estratégia e competências. Revista de Administração de Empresas, 44(1), 44-57.

Fontanella, R. (2012). Os tipos comportamentais dos executivos e a postura do profissional de secretariado. Revista de Gestão e Secretariado, 2(2), 79-104.

Gretha-Taylor, H. (2008). Identifying collaborative competencies. Review of Public Personnel Administration, 28(2), 103-119.

Hair, J. F., Jr.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L., & Black, W. C. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Laffin, M. (2015). Graduação em Ciências Contábeis: a ênfase nas competências: contribuições ao debate. Arquivos analíticos de políticas educativas, 23(78), 1-30. Recuperado de http://cm.redalyc.org/articulo.oa?id=275041389048.

Leal, F. G. & Dalmau, M. B. L. (2014). Análise das competências secretariais requeridas pela Universidade Federal de Santa Catarina em comparação ao perfil profissiográfico do secretário executivo. Revista de Gestão e Secretariado, 5(3), 143-174.

Leal, F. G.; & Fiates, G. G. S. (2013). Competências dos secretários-executivos de uma Universidade Pública Federal: Uma Análise a partir da perspectiva dos gestores. Revista de Gestão e Secretariado, 4(3), 30-57.

Leal, F. G. & Moraes, M. C. B. (2017). Perspectivas de atuação do Secretário Executivo na gestão da internacionalização da educação superior. Revista de Gestão e Secretariado, 8(1), 138-167.

Lei nº 7.377, de 30 de setembro de 1985. Dispõe sobre o exercício da profissão de Secretário e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7377.htm.

Lei n.º 9.261, de 10 de janeiro de 1996. Altera a redação dos incisos I e II do art. 2º, o caput do art. 3º, o inciso VI do art. 4º e o parágrafo único do art. 6º da Lei nº 7.377, de 30 de setembro de 1985. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9261.htm.

Mascarenhas, M. H. S.; Sepulveda, F. A. M.; & D’Assumpção, E. S. (2011). Sistema de gestão integrado: A atuação do secretário executivo. Revista de Gestão e Secretariado, 2(1), 177-192.

McClelland, D. C. (1973). Testing for competence rather than for "intelligence". American Psychologist, 28(1), 1-14.

Morais, P. A. P.; Melo, T. A. & Bianco, M. F. (2015). Noções/significado (s) de competência (s): Uma revisão teórica. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, 20(2) 487-504.

Moreira, K. D.; Rodrigues, L. M. A.; Vale, J. C. F.; & Rosa, M. H. (2016). As competências contemporâneas do secretário executivo e a relação com as competências do Middle Manager. Revista de Gestão e Secretariado, 7(1), 45-66.

Moreira, K. D.; Santos, A. K.; & Moretto Neto, L.; (2015). Profissional de secretariado Um agente de mudança. Revista de Gestão e Secretariado, 6(1), 168-186.

Moura, M. D. C. S.; & Sobral, M. F. F. (2014). Gestão por competências com uso da metodologia multicritério na avaliação de profissionais de apoio administrativo de um Call Center. Revista de

Gestão e Secretariado, 5(3), 1-27.

Pereira, K. A. & Silva, M. R. (2014). A atuação do secretário executivo no terceiro setor na cidade de Aracaju. Revista de Gestão e Secretariado, 5(1), 104-130.

Resolução nº 3, de 23 de junho de 2005. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo e dá outras providências. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces003_05.pdf.

Rodrigues, L. M. A. & Lavarda, R. A. B. (2016, Junho). Secretarial assistant professional: The role as information manager in the strategy formation process. International Conference on Information Systems and Technology Management. São Paulo, SP, Brasil, 13. Recuperado de http://www.contecsi.fea.usp.br/envio/index.php/contecsi/13CONTECSI/ paper/view/4216/2696.

Rodrigues, A. A.; Rosa, J. S.; Ferko, G. P. S.; & Melo, M. M. B. (2017). Empregabilidade profissional: O secretariado executivo em foco na Amazônia Setentrional. Revista de Gestão e Secretariado, 7(3), 66-95.

Sabino, R. F. & Andrade, J. A. F., Jr. (2011). Secretariado: Formação e mercado no estado de Sergipe. Revista de Gestão e Secretariado, 2(1), 6-31.

Santos, A. P. (2014). Conhecimentos, habilidades e atitudes: O conceito de competências no trabalho e seu uso no setor público. Revista do Serviço Público, 62(4), 369-386.

Santos, P. M. D. (2011). Secretariado: Um fator de competitividade organizacional. Recuperado de http://repositorio.ipv.pt/bitstream/10400.19/984/1/ SECRETARIADO_COMPETITIVIDADE_PAULA%20SANTOS.pdf

Schmitz, C. J.; Battisti, P. S. S.; & Santos, S. R. F. (2015). Uma análise da consultoria secretarial como novo nicho de mercado e como disciplina nos cursos de Secretariado Executivo. Revista de Gestão e Secretariado, 6(2), 19-43.

Silva, J. S.; Barros, C. D. M. P.; & Nascimento, A. S. S. (2016). Cenário da produção bibliográfica nacional em secretariado nos anos de 2004 a 2013. Revista Capital Científico-Eletrônica, 14(2), 60-75.

Siqueira, M. M. M. (2009). Medidas do comportamento organizacional: Ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed Editora.

Spencer, L. M. & Spencer, S. M. (1993). Competence at work: Models for superior performance. New York: John Wiley& Sons.

Todorov, M. D. C. A.; Kniess, C. T.; & Chaves, M. S. (2013). As competências do profissional de secretariado na implantação de projetos sustentáveis. Revista de Gestão e Secretariado, 4(3), 189-209.

Todorov, M. D. C. A.; Martins, C. B.; Genghini, L. A.; Martins, S. B.; & Kniess, C. T. (2016). Executive secretariat: Profession trends in a world increasingly dynamic. International Journal of Professional Business Review, 1(1), 15-29.

Wooldridge, J. (2014). Introdução à econometria: Uma abordagem moderna. São Paulo: Cengage Learning.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v9i2.765

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Fernando Aguiar Camargo, Edson Ricardo Barbero

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia