Índice De Carência E Vulnerabilidade Municipal – ICV-M: Análise Crítica E Metodologica

Deborah Bernett, Edison Da Rosa

Resumo


Este artigo objetiva descrever a metodologia aplicada para definir o Índice de Carência e Vulnerabilidade Municipal (ICV-M), empregado na análise dos municípios do Estado de Santa Catarina. A metodologia proposta faz uso dos indicadores das bases de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e principalmente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), numa relação direta entre a criação de um índice indexado para análises e a implantação de programas governamentais direcionados para a inclusão social e o desenvolvimento. O estudo é parte de um trabalho de pesquisa e desenvolvimento dedicado à implantação de Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT’s) no Estado de Santa Catarina e, portanto, é uma das etapas iniciais da pesquisa. Foram identificados municípios que se encontram em situações preocupantes, nos aspectos sócio econômicos e de inclusão social. Os resultados apresentados demonstraram condições de identificar o mais alto Índice de Carência e Vulnerabilidade Municipal de cada município. A análise do índice apresentou resultados concretos que permitem medir cenários municipais o mais próximo possível da realidade, contribuindo para a implantação de programas específicos de inclusão social e desenvolvimento. 


Palavras-chave


Indicadores Sociais; Inclusão Social; Desenvolvimento Social; Indicador de Vulnerabilidade Social;

Texto completo:

PDF

Referências


Arraes, R. A.; Teles, V. K. (2000) Endogeneidade e exogeneidade do crescimento econômico: uma análise comparativa entre Nordeste, Brasil e países selecionados. Revista Econômica do Nordeste, 31, p. 754-776. Fortaleza.

Bernett, D. (2001) Indicadores para avaliação da influência dos ambientes de empreendedorismo inovador na geração de capital social. Tese, Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

Banco Mundial (2010) Social capital in Guatemala: a mixed methods analysis. Disponível em: Acesso em:02/2011.

Carley (1985), Michael. Indicadores Sociais: Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Zahar.

Comité Europeén de Normalisation (CEN). European Guide to good Practice in Knowledge Management (2004): Part 1 – 5. Brussels: European Committee for Standardization.

Durston, J (2000). Qué es el capital social comunitario? Santiago de Chile: CEPAL.

IPEA (2014), Instituto de Pesquisa Estatística Aplicada. ATLAS BRASIL, Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. 2014.

IPEA (2015), Instituto de Pesquisa Estatística Aplicada. ATLAS DA VULNERABILIDADE SOCIAL.

Jannuzzi, P.(2005) M. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil, Revista do Serviço Público Brasília 56 (2): 137-160.

MDS 2016. Metodologia de cômputo das taxas de pobreza e extrema pobreza das PNADs 1992 a 2014.

MCTI/SECIS (2013). 10 Anos de CVT, 2003 – 2013.

OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (2000). A New Economy? The changing role of innovation and information technology and growth. OCDE. 92 p. Paris-FR.

______Factbook (2007). Economic, Environmental and Social Statistics. ISBN 92-64-029 Science and Technology. Research and Development (R&D). Expenditure on R&D.

______Governing Regional Development Policy (2009). The use of performance indicators.

Stern, S.; Warens, A.; Hellman (2016), T. The Social Progress Index Methodology, SPI.

Woolcock, Michael .(1998). “Social Capital and Economic Development: Towards a Theoretical Synthesis and Policy Framework.” Theory and Society 27:151–208. World Almanac and Book of Facts. 1975–94. New York: Newspaper Enterprise Association




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v8i3.646

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Deborah Bernett, Edison Da Rosa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia