CENÁRIO DOS CURSOS A DISTÂNCIA DE SECRETARIADO NO BRASIL

Bruna Beatriz Locks, Thaíse Caroline Milbratz, Vilmar Siewert Junior, Maria José Carvalho de Souza Domingues

Resumo


Devido a carência de estudos científicos na área de Secretariado, percebeu-se uma lacuna na verificação do atual cenário do curso no país. Desta maneira, o objetivo deste estudo foi elaborar um panorama dos cursos de Secretariado, e suas variantes (Secretariado Executivo, Secretariado Executivo Bilíngue e Secretariado Executivo Trilíngue), na modalidade a Distância – EaD – e assim, sugerir os rumos do curso no Brasil. Em termos metodológicos, a pesquisa apresenta abordagem quantitativa, sendo que os principais procedimentos de investigação se deram a partir de dados secundários, retirados do portal do MEC (2015), Enade (2012) e INEP (2014). Os principais resultados remetem a uma crescente expansão dos cursos tecnológicos de Secretariado a distância no país, uma vez que os cursos na modalidade Presencial vêm enfrentando uma redução em sua oferta. Outro resultado levantado no estudo refere-se as redes de distribuição que as Instituições de Ensino Superior -IES- que ofertam o curso nas regiões do país formam, apontando para uma dominação de Instituições Privadas e com sede nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.


Palavras-chave


Secretariado; Curso Superior; Educação a Distância; EaD

Texto completo:

PDF

Referências


Benetti, K. C. (2008). Competências docentes para EAD: análise da realidade do curso de graduação em Administração a distância da Universidade Federal de Santa Catarina.

Bilert, V. S., & Biscoli, F. V. (2011). Executive Secretariat Students´ Profile (freshmen and seniors): A comparative study in public education institutions. Revista de Gestão e Secretariado, 2(2), 33.

BRASIL. MEC, CNE. Resolução n°. 3, de 23 de Junho de 2005. Institui as diretrizes curriculares para os cursos de graduação em Secretariado Executivo e dá outras providências. Brasília. DF, 2005 Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces003_05.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2016.

Cielo, I. D., Schmidt, C. M., & Wenningkamp, K. R. (2014). Secretariado Executivo no Brasil: Quo Vadis? Revista de Gestão e Secretariado, 5(3), 49.

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E SECRETÁRIAS – FENASSEC. (2015). Histórico da Profissão. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2016.

Hair Jr, J. F., Babin, B., Money, A. H., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Bookman.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. (2016). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas ano 2009. Rio de Janeiro: IBGE.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS – INEP. (2014). Censo da educação superior 2012: resumo técnico. Brasília, DF: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 133.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA. (2013). Radar: tecnologia, produção e comércio exterior 2009-2012. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais, de Inovação, Regulação e Infraestrutura. Brasília, n. 1.

Lacerda, L. L. V. d., & Ferri, C. (2015). Relationships between teaching quality indicators and student performance in Brazilian undergraduate courses of Pedagogy in the National Student Performance Exam (Enade). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 96(242), P.129-145.

Lobato, M. G. S., Caldas, Y. P., & Costa, A. J. S. (2016). Mercado de Trabalho e Empregabilidade sob a Lógica do Capital: Representações Sociais do Secretário Executivo no Amapá. Revista de Gestão e Secretariado, 7(1), P.01-26.

Lourenço, F., Moreira, K. D., & Martins, C. (2014). Panorama do mercado de trabalho catarinense para o profissional de secretariado. In: Anais do VII Encontro Nacional de Estudantes de Secretariado, Salvador, BA, Brasil.

Maçaneiro, M. B., & Kuhl, M. R. (2013). State of the art and the direction of scientific knowledge in the executive secretariat: Mapping and analysis of research areas. Revista de Gestão e Secretariado, 4(3), 157.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman.

Mattos, J. E. G., & Barbosa, D. M. F. (2015). Educação a distância: desafios no ensino superior. Maiêutica-Cursos de Gestão, 3(1).

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – MEC. (2015). Portal do MEC. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/. Acesso em 25 de dezembro de 2015.

Moran, J. M. (2002). A educação superior a distância no Brasil. São Paulo: USP.

Moreira, K. D., dos Santos, A. K., & Neto, L. M. (2015). Profissional de Secretariado Empreendedor: Um Agente de Mudança. Revista de Gestão e Secretariado, 6(1), 168.

Neves, M. d. C. d. O. (2008). Introdução ao secretariado executivo. Rio de Janeiro: Tmaisoito.

Nonato Júnior, R. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Nunes, I. B. (2009). A história do EaD no Mundo. In: LITTO, F.; FORMIGA, M. (Org.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo, SP: Pearson Education do Brasil. P. 2-9

Oliveira, A. C. B. (2015). Ensino à distancia: novas práticas pedagógicas, novas habilidades de aprendizado. Paper presented at the 6º Seminário Nacional do EDaPECI.

Paes, R. V. O., de Souza Antunes, C. K., da Silva Santiago, C., & Zwierzikowski, M. R. (2015). Novas Formas de Atuação do Profissional de Secretariado Executivo. Revista de Gestão e Secretariado, 6(1), 99.

Pereira, J. M. (2008). Políticas públicas de educação no Brasil: a utilização da EAD como instrumento de inclusão social. Journal of Technology Management and Innovation, 3, P. 44-55.

Preti, O. (1996). Educação a Distância: uma prática educativa mediadora e mediatizada. NEAD/IE/UFMT. Cuiabá: UFMT.

Ribeiro, N. D. L. A. (2002). Secretariado: do escriba ao gestor: um estudo sobre o novo perfil do profissional de secretariado. São Luis: Edfama.

Sabino, R. F., & Rocha, F. G. (2004). Secretariado: do escriba ao web writer- a história, a evolução e as novas competências do secretariado do 3º milênio. Rio de Janeiro: Brasport.

Takahashi, A. R. W. (2010). Cursos superiores de tecnologia em gestão: reflexões e implicações da expansão de uma (nova) modalidade de ensino superior em administração no Brasil. Revista de administração pública, 44(2), 385-414.

Vilarinho, L. R. G., & Paulino, C. L. (2010). Educação a Distância no Ensino Superior Brasileiro: das experiências pioneiras ao sistema de rede. Revista Eletrônica de Educação, 4(1), 64-79.




DOI: http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v8i2.583

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Bruna Beatriz Locks, Thaíse Caroline Milbratz, Vilmar Siewert Junior, Maria José Carvalho de Souza Domingues

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista de Gestão e Secretariado - GeSeC e-ISSN:2178-9010

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia