Capacidade de Resiliência Urbana: Estudo de Caso da Cidade Addis Ababa na Etiópia

Cristiane Criscibene Pantaleão, Tatiana Tucunduva Philippi Cortese

Resumo


Com foco no planejamento urbano sustentável, este trabalho tem como objetivo contribuir para a redução do risco de desastres das cidades por meio do desenvolvimento de estratégias que possibilitem a superação de suas vulnerabilidades. Utilizando uma pesquisa aplicada com abordagem qualitativa, o material analisado nas pesquisas de revisão bibliográfica e análise documental foi obtido em sites das organizações e instituições, de revistas científicas e livros físicos. A estratégia de pesquisa aplicada foi um estudo de caso exploratório da cidade Addis Ababa, capital da Etiópia, considerada a de maior importância política e diplomática de todo o continente e com maior probabilidade de avançar em sua posição global nos próximos anos. Avaliando o material levantado nas pesquisas relacionadas à cidade foco do estudo, é possível constatar um alto índice de vulnerabilidade em todos os temas abordados, mas também a existência de um grande potencial de desenvolvimento da capacidade de resiliência urbana com investimentos a serem feitos nas quatro esferas: política, social, ambiental e econômica. Os resultados deste trabalho podem ter um caráter direcionador aos gestores das cidades que desejam desenvolver as capacidades adaptativas em cada realidade, reduzindo os impactos negativos das vulnerabilidades e as transformando em desafios a serem superados. Este trabalho contribui para a área acadêmica com dados importantes para novos estudos relacionados ao tema, assim como traz elementos importantes para tomadores de decisão, formuladores de políticas públicas e para a sociedade, despertando a consciência e o aprendizado de novas possibilidades para o desenvolvimento sustentável das cidades, sociedades e cidadãos.


Palavras-chave


Resiliência Urbana. Vulnerabilidade. Cidades. Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Aragaw, M.T. (2011). Urban Open Space Use in Addis Ababa: The Case of Meskel Square. Alnarp. Recuperado em 26 novembro, 2015, de http://stud.epsilon.slu.se/2829/1/aragaw_m_110616.pdf

Barros, E. A. de, & Cavalcanti, E. R. (2013). Resiliência e capacidade adaptativa: recursos para a sustentabilidade de cidades e comunidades. Anais: Encontros Nacionais da ANPUR, 15.

Câmara Municipal do Rio de Janeiro [CMRJ] (2015). Relatório da Viagem do Senhor Prefeito a Buenos Aires (Argentina). Recuperado em 14 setembro, 2015, de http://mail.camara.rj.gov.br/APL/Legislativos/scpro1316.nsf/b7e476c009f7a298032577590051acc3/61d84ef4eb66f09583257e2900728945?OpenDocument

Centro Regional de Informações das Nações Unidas (2015). World Urbanization Prospects: The 2014 Revision. Recuperado em 15 abril, 2016 de http://esa.un.org/unpd/wup/

C40 Cities (2015). Addis Ababa, Ethiopia. Recuperado em 10, setembro, 2015, de http://www.c40.org/cities/addis-ababa

Escritório das Nações Unidas para Redução de Riscos de Desastres (2012). Como Construir Cidades Mais Resilientes - Um Guia para Gestores Públicos Locais. Genebra, Suíça: Autor.

Franco, M. D. A. R., Osse, V. C., & Minks, V. (2013). Infraestrutura verde para as mudanças climáticas no C40. Revista LABVERDE, (6), 220-235.

Federal Democratic Republic of Ethiopia (2011). Ethiopia’s Climate-Resilient Green Economy: Green Economy Strategy. Addis Ababa, Etiópia: Autor.

Food and Agriculture Organization of the United Nations (1984). Database. Recuperado em 25 novembro, 2015, de, http://www.fao.org/statistics/databases/en

Global Footprint Network (2011). Ecological Wealth of Nations. Recuperado em 30 novembro, 2015, de http://www.footprintnetwork.org/ecological_footprint_nations/index.html

Herzog, C. P. (2013). Cidades Para Todos-(re) aprendendo a conviver com a Natureza (1ª ed.). Rio de Janeiro: Mauad X: Inverde.

InFAR Planning Systems (2012). Bauhaus Univesitat Weimar. Recuperado em 14 setembro, 2015, de http://infar.architektur.uni-weimar.de/service/drupal-infar/node/754

Leichenko, R. (2011). Climate change and urban resilience. Current opinion in environmental sustainability. Science Direct, 3(3), 164-168.

Maplecroft (2012). The Climate Change and Environmental Risk Atlas. Recuperado em 15 setembro, 2015, de https://maplecroft.com/about/news/ccvi_2012.html

Martins, G. A. & Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas (2ª ed.). SãoPaulo: Editora Atlas.

Nações Unidas (2012). Painel de Alto Nível do Secretário-Geral das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global - Povos Resilientes, Planeta Resiliente: um Futuro Digno de Escolha. New York, USA: Autor.

Organização Mundial da Saúde [OMS] (2014). Guia de Estudos. Sinus 2014. Recuperado em 20, outubro, 2015 de http://sinus.org.br/2014/wp-content/uploads/2013/11/OMS-Guia-Online.pdf

Pêna, A. M., Peterson, E., Gott, J. & Hales, M. (2014). 2014 Global Cities Index and Emerging Cities Outlook (Global Cities Present and Future). Korea: A.T. Kearney. Recuperado em 10 setembro, 2015, de https://www.atkearney.com/documents

Prefeitura de São Paulo (2012). Construindo Cidades Sustentáveis – Síntese do C40 São Paulo Climate Summit 2011. Recuperado em 14 setembro, 2015, em http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/c40_cidades-sustentaveis_22x26_1359741170.pdf

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2014). Relatório do Desenvolvimento Humano. (2014) - Sustentar o Progresso Humano: Reduzir as Vulnerabilidades e Reforçar a Resiliência. New York, USA: Autor.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2013). Relatório de Desenvolvimento Humano (1990-2013). Recuperado em 20 setembro, 2015, de http://www.pnud.org.br/arquivos/rdh-2013.pdf

Sachs, I., Lopes, C., & Dowbor, L. (2010). Crises e oportunidades em tempos de mudança. Economia Global e Gestão, 15(1), 133-154.

The UM Refugee Agency [UNHCR] (2015). 2015 UNHCR country operations profile – Ethiopia. Recuperado em 10 setembro, 2015, de http://www.unhcr.org/cgi-bin/texis/vtx/page?page=49e483986&submit=GO

Tiruneh, Y. (2015). Behind Ethiopia’s MDG success on water supply (Blog WaterAid). Recuperado em 27 novembro, 2015, de http://www.wateraid.org/news/news/behind-ethiopias-mdg-success-on-water-supply

United Nations Human Settlements Programme. (2008). Ethiopia: Addis Ababa Urban Profile. Nairobi. Recuperado em 10 setembro, 2015 de http://unhabitat.org/books/ethiopia-addis-ababa-urban-profile/

United Nations Environment Programme (2011), Towards a Green Economy: Pathways to Sustainable Development and Poverty Eradication. Recuperado em 20, setembro, 2015, de www.unep.org/greeneconomy

United Nations Environment Programme (2015). The Emissions Gap Report 2015. Recuperado em 18, março, 2015, de http://uneplive.unep.org/media/docs/theme/13/EGR_2015

United Nations Development Programme (2007). Human Development Report 2007/2008. Recuperado em 10, setembro, 2015 de http://hdr.undp.org/sites/default/files/reports/268/hdr_20072008_en_complete.pdf

Voukas, Y., & Palmer, D. (2012). Sustainable Transportation in East Africa The Bus Rapid Transit Evolution in Addis Ababa, Ethiopia. In CODATU XV: The role of urban mobility in (re) shaping cities.

World Energy Council (2015). 2015 Energy Trilemma Index - Benchmarking the sustainability of national energy systems. Recuperado em 30 novembro, 2015, de https://www.worldenergy.org/wp-content/uploads/2015/11/20151030-Index-report-PDF.pdf

World Meteorological Organization (2014). Atlas of Mortality and Economic Losses from Weather, Climate and Water Extremes (1970–2012). Geneva, Switzerland: Autor. Recuperado em 05 maio, 2016 de http://www.wmo.int/pages/prog/drr/transfer/2014.06.12-WMO1123_Atlas_120614.pdf

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos (5ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Zolli, A. (2013). Adapte-se: resiliência: como pessoas, sociedade e organizações podem enfrentar mudanças e adaptar-se a elas. Rio de Janeiro: Elsevier.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v7i2.554

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Cristiane Criscibene Pantaleão, Tatiana Tucunduva Philippi Cortese

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia