Implantação de Escritório de Projetos em Instituição de Ensino Superior: Estudo de Caso

Eduardo Vimercati, Leandro Alves Patah

Resumo


O presente trabalho traz uma experiência vivida por uma instituição de ensino superior, a partir da qual foi possível apresentar as etapas do projeto de implantação do seu PMO, as dificuldades e facilidades do processo, bem como as características e atribuições específicas do escritório de gerenciamento de projetos implantado. Além disso, a discussão sobre as particularidades do PMO em uma IES e a apresentação do uso de ferramentas capazes de viabilizar um plano de implantação de PMO em IES possibilitou sua expansão para outras instituições. O trabalho também discute os temas mais relevantes para a literatura, como por exemplo, crescimento das IES e gerenciamento de projetos como ferramenta para otimizar a organização e execução dos diversos projetos gerados nas instituições. Assim, este estudo se propõe a contribuir para a redução de uma lacuna no conhecimento com relação a como implantar PMO em IES, sendo esta a questão de pesquisa deste estudo.

Palavras-chave


Escritórios de Gerenciamento de Projetos, Implantação de Escritórios de Gerenciamento de Projetos, Instituições de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Abe, C. K., Carvalho, M. M. (2005). Fatores críticos para a implantação do PMO: um estudo de caso. GEPROS – Gestão da Produção, Operações e Sistemas. Ano 1, n. 3.

Anselmo, J. L., Maximiano, A. C. A. (2006, out./nov./dez.). PMO: um estudo de caso. Revista Administração. São Paulo, v.41, n.4, p.394-403.

Aubry, M., Hobbs, B. (2008). The Project Management Office (PMO): A Quest for Understeing.

Aubry, M., Muller, R., Hobbs, B., Blomquist, T. (2010). Project Management Offices in Transition. International Journal of Project Management, 28(8), 766-778. doi:10.1016/j.ijproman.2010.05.006.

Barbalho, S. C. M., Amaral, D. P., Kernbichler, T. S., Richter, E. H., Torres, L. (2009, jul./set.). Rompendo obstáculos para a implantação de PMO em empresa de base tecnológica. Gestão e Produção. São Carlos, v. 16, n. 3, p. 435-449.

Brasil (1996). A Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Art. 43-57.

Capes. Arquivos de Ajuda da Plataforma Lattes. Disponível em http://ajuda.cnpq.br/index.php/P%C3%A1gina_principal. Acesso em 20/12/2014.

Capes. Plataforma Lattes. Disponível em http://lattes.cnpq.br/. Acesso em 20/12/2014

Capes/MEC. Diretoria de Avalição – DAV. Coleta de Dados 12.0 – Manual do Usuário. Fev./2013.

Carvalho, K. E. M. (2013). Impactos da Implantação do PMO no Desempenho da Organização Pública: o caso de uma instituição de ensino superior. Dissertação de Mestrado Profissional em Administração: Gestão de Projetos. Universidade Nove de Julho. São Paulo, SP, Brasil. Disponível: http://www4.uninove.br/tedeSimplificado/tde_busca/processaPesquisa.php?listaDetalhes%5B%5D=533eprocessar=Processar

Carvalho, M. M.; Rabechini, R. Jr. (2005). Construindo competências e, gerenciamento de projetos: teoria e casos. Editora Atlas.

Carvalho, M. M., Rabechini, R., Jr. (2011). Fundamentos em Gestão de Projetos: Construindo Competências para Gerenciar Projetos. 3ª edição, editora Atlas.

Coelho, T. P., Dubke, A. F., e Nascimento, F. C. G. (2010, jul./dez.). A Transferência de Conhecimento na Implantação de um PMO. Revista Gestão e Projetos - GeP, São Paulo, v. 1, n. 2, p 147-161.

Crawford, J. K. (2002). The Strategic Project Office – A Guide to Improving Organizational Performance. New York: Marcel Dekker. Disponível em: http://books.google.com.br/books?id=Pay44GuJBigCeprintsec=frontcoveredq=The+Strategic+Project+Officeehl=pt-BResa=Xeei=TpRVU7nbJMfUsATR0oD4Dweved=0CDYQ6AEwAQ#v=onepageeq=The%20Strategic%20Project%20Officeef=false Acesso em 21/04/2014

Dai, C. X., Wells, W. G. (2004). An Exploration of Project Management Office Features e Their Relationship to Project Performance. International Journal of Project Management, 22(7), 523-532.

Desouza, k. C., Evaristo, J. R. (2006). Project Management Offices: A Case of Knowledge-Based Archetypes. International Journal of Information Management, 414-423

Dinsmore, P. C. (1998). Gerência de programas e projetos. São Paulo.

Dinsmore, P. C., Cabanis-Brewin, J. (2006). The Ama Hebook of Project Management. Second Edition. AMACOM Amarican Management Association.

Eersen, B., Henriksen, B., Aarseth, W. (2007, april). Benchmarketing of Project Management Office Establishment: Journal of Management in Engineering. 97-104.

Garnica, L. A., Torkomian, A. L. V. (2009, out/dez.). Gestão de tecnologia em universidades: uma análise do patenteamento e dos fatores de dificuldade e de apoio à transferência de tecnologia no Estado de São Paulo. Revista Gestão e Produção, São Carlos, v. 16, n. 4, p. 624-638.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 57-58.

Kawahara, K., Jussani, A. C. (2013, novembro 07 e 08). Fatores Críticos de Sucesso na implantação de um PMO: estudo de caso em uma empresa de consultoria em tecnologia da informação. II Simpósio Internacional e Gestão de Projetos (II Singep) Simpósio Internacional e Inovação e Sustentabilidade (I S2IS). Anais do II SINGEP e I S2IS – São Paulo – SP – Brasil.

Kerzner, H. (2011). Gerenciamento de Projetos: uma abordagem sistêmica para planejamento, programação e controle. 11 ed. São Paulo. Editora Blucher.

Kniess, C. T., Moutinho, J. A. (2012, mai./ago.). Contribuições de um PMO em um laboratório de P&D de uma universidade pública. Revista Gestão e Projetos – GeP, São Paulo, v. 3, n. 2, p 260-271; 282-293.

Marconi, M. A., Lakatos, E. M. (2005). Fundamentos de Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Atlas, 165-166.

Martins, G. A., Theóphilo, C. R. (2009). Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. 2ª ed. São Paulo: Atlas.

Moraes, R., Stal, E. (1994). Interação Universidade-Empresa no Brasil. RAE - Revista de Administração de Empresas São Paulo, v. 34, n. 4, p. 98-112.

Mussi, C. C., Faraco, R. A., Angeloni, M. T., Peres, F. M. (2013, out./dez.). Rede Social para Transferência de Conhecimento e Inovação Social. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração. Rio de Janeiro, v. 7, nº 4.

Patah, L. A., Carvalho, M. M. (2003). O Processo de Implantação de um Project Management Office. In: Seminário Gestão de Projetos 2003 SUCESU-SP. São Paulo.

Patah, L. A. (2004). Alinhamento estratégico de estrutura organizacional de projetos: uma análise de múltiplos casos. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Project Management Institute (2013). A Guide to the Project Management Body ok knowledge (PMBOK Guide) – Fifth Edition.

Segatto-Mendes, A. P. (2001). Teoria de Agência Aplicada à Análise de Relações entre os Participantes dos Processos de Cooperação Tecnológica Universidade-Empresa. Tese de Doutorado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, USP, São Paulo, SP, Brasil. Disponível: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-24012002-114443

Shenhar, A., Dvir., D. Reinventando o Gerenciamento de Projetos: A Abordagem Diamante ao Crescimento e Inovação Bem Sucedidos. M. Books, 2007.

Siegel, D. S., Waldman, D. A., Atwater, L. E., Link, A. N. (2004). Toward a model of the effective transfer of scientific knowledge from academicians to practitioners: qualitative evidence from the commercialization of university technologies. Journal of Engineering e Technology Management JET-M. doi:10.1016/j.jengtecman.2003.12.006

Valeriano, D. (2005). Moderno Gerenciamento de Projetos. São Paulo: Prentice Hall/Pearson 2011 2009, pp. 75-106.

Yin, R. K. (2010, pp. 38-41). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 4ª edição. Porto Alegre: editora Bookman.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v7i1.436

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Eduardo Vimercati, Leandro Alves Patah

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia