Ensino com Pesquisa: Contribuições para a Cientificidade na Formação em Secretariado Executivo

Autores

  • Conceição de Maria Pinheiro Barros Universidade Federal do Ceará - UFC, Ceará, Brasil
  • Joelma Soares da Silva Universidade Federal do Ceará
  • Ana Paula da Cruz Holanda Barros Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v7i1.411

Palavras-chave:

Educação Superior. Ensino com Pesquisa. Secretariado Executivo.

Resumo

O ensino com pesquisa pode ser considerado como um método capaz de contribuir para a docência universitária, inserindo-se nesse contexto a formação em Secretariado Executivo. Este trabalho tem por objetivo geral investigar as contribuições dessa abordagem para a cientificidade secretarial. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa utilizando-se como técnicas de pesquisa observação participante e narrativa escrita. A partir da observação participante, registrada em diário de campo, apresenta-se o relato de experiência docente por meio da descrição do desenvolvimento e dos resultados alcançados com a utilização do ensino com pesquisa científica desenvolvido nas disciplinas Dinâmica Gerencial, Comportamento Organizacional e Estágio Supervisionado, no Curso de Secretariado Executivo da Universidade Federal do Ceará, no período de 2012 a 2014, com a participação 73 alunos. As narrativas escritas foram realizadas por 19 estudantes que desenvolveram o Estágio Supervisionado, em 2014. A interpretação das informações foi realizada numa perspectiva hermenêutica fundamentada na compreensão interpretativa fenomenológica. Inferiu-se que as contribuições do ensino com pesquisa para a cientificidade secretarial ocorrem principalmente, pelo fato de formar um novo perfil acadêmico e profissional por meio de uma cultura científica no Curso, inserindo o educando no processo investigativo durante a realização das disciplinas estudadas ao longo de sua trajetória universitária. Tal cultura possibilita a busca por respostas às inquietações que surgem na profissão, colaborando para a identidade do Secretariado como área de conhecimento em construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Conceição de Maria Pinheiro Barros, Universidade Federal do Ceará - UFC, Ceará, Brasil

Doutoranda em Educação, pela Universidade Federal do Ceará. Mestra em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior, pela Universidade Federal do Ceará. Bacharel em Secretariado Executivo, pela Universidade Federal do Ceará. Professora Assistente da Universidade Federal do Ceará. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Secretariado Executiv (GEPES). Desenvolve pesquisas científicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento e formação docente, Educação em Secretariado, Responsabilidade Social Universitária, Gestão Secretarial.

Joelma Soares da Silva, Universidade Federal do Ceará

Mestre em Administração. Possui especialização em Gestão de IES e graduação em Secretariado Executivo. Atuou como professora em diversas intituições privadas e atualmente é professora do Departamento de Administração e coordenadora do Curso de Secretetariado Executivo da Universidade Federal do Ceará.

Ana Paula da Cruz Holanda Barros, Universidade Federal do Ceará

Especialista em Administração de Recursos Humanos e em Assessoria e Gestão Publica e Privada. Bacharel em Secretariado Executivo, pela Universidade Federal do Ceará. Graduada em Secretariado Executivo.  Secretária Executiva da Universidade Federal do Ceará. Principais áreas de atuação: assessoria, gestão secretarial, comunicação, turismo e recrutamento & seleção.

Referências

Benhrens, Marilda Aparecida (2005). O Paradigma emergente e a prática pedagógica.Petrópolis: Vozes.

Bíscoli, Fabiana Regina Veloso & Bilert, Vania Silva de Souza . (2013). Evolução do secretariado executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. Revista Expectativa. v. 12, n. 12, pp. 9-42.

Boguslawski, Ana Maria & Santos, Emili Barcellos Martins (2013). “Prazer em Conhece-lo (a), sou o Curso de Secretariado Executivo”: um estudo sobre o (des) conhecimento de alunos de Ensino Médio acerca da formação universitária em Secretariado Executivo. Revista Gestão e Secretariado. v. 4, n. 3, pp. 134-156.

Cunha, Maria Isabel da (1996.). Ensino com pesquisa: a prática do professor universitário. Cad. Pesq., São Paulo, n. 97, p.31-46.

Farias, Isabel Maria Sabino de.; Silva, Silvina Pimentel; Nóbrega-Therrien, Silvia Maria & Sales, José Albio Moreira de Sales (2010). Trilhas do labirinto na pesquisa educacional qualitativa: dos procedimentos de coleta de dados ao trabalho de campo. In: FARIAS, Isabel Maria Sabino de; NUNES, João Batista Carvalho; Nóbrega-Therrien, Silvia Maria.Pesquisa científica para iniciantes: caminhando no labirinto. Fortaleza: EDUECE, pp. 67-92.

Fernandes, Christiane Caetano Martins (2011). A pesquisa em sala de aula como instrumento pedagógico: considerações para sua inclusão na prática pedagógica. Diálogos Educ. R., Campo Grande, MS, v. 2, n. 2, pp. 74-82.

Gomes, Ruth Cristina Soares; Figueiredo, Ângela Maria Rodrigues de.&Ghendin, Evandro (2011). Os processos cognitivos mobilizados pelo ensino com pesquisa na pedagogia universitária. Rev. ARETÉ, v. 4, n. 6, Manaus, pp.9-13.

Hoeller, Patricia Agostinho Freitas (2006). A natureza do conhecimento em Secretariado Executivo. Revista Expectativa,v.5, n. 5, pp. 139-145.

Lampert,Ernâni (2008). O ensino com pesquisa: realidade, desafios e perspectivas na universidade brasileira. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxíae Educación. Vol. 16, (1,2), Ano 12º-pp. 31-44.

Moraes, Roque de. & Lima, Valderez Marina do Rosário (2004). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos.Porto Alegre: Edipucrs.

Mosquera, Juan Jose Moriño (2006). Princípios da universidade no século XXI: universidade e produção do conhecimento. In: Audy, Jorge Luis Nicolas &Morosini, Marília Costa (Orgs.). Inovação e empreendedorismo na universidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, pp. 70-88.

Nascimento, Erivaldo Pereira do (2012). Pesquisa aplicada e interdisciplinaridade: da linguística ao secretariado. In:Durante, Daniela Giareta (Org). A pesquisa em secretariado: cenário, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

Nonato Júnior, Raimundo (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Sabino, Rosimeri Ferraz &Marchelli, Paulo Sérgio Marchelli (2009). O debate teórico-metodológico no campo do secretariado: pluralismos e singularidades. Cadernos EBAPE.BR, n. 4, art. 6, pp. 607-621.

Sampieri, Roberto Hernández; Collado, Carlos Fernández& Lucio, Pilar Baptista (2006). Metodologia de pesquisa.3. ed. São Paulo: McGraw-Hill.

Souza, Elizeu Clementino de (Org.) (2006). Autobiografias, História de Vida e Formação: pesquisa e ensino. Salvador/Bahia: EDUNEB – EDIPUCRS.

Schwandt, Thomas A (2006). Três posturas epistemológicas para investigação qualitativa: interpretativismo, hermenêutica e construtivismo social. In: Denzin,Norman K.;Lincoln, Yvonna S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, pp. 193-297.

Teixeira, Anísio (1969). Educação e o mundo moderno. São Paulo: Editora Nacional

Wanderley, Luiz Eduardo (2003). O que é universidade. São Paulo: Brasiliense.

Downloads

Publicado

2016-05-20

Como Citar

Pinheiro Barros, C. de M., da Silva, J. S., & Barros, A. P. da C. H. (2016). Ensino com Pesquisa: Contribuições para a Cientificidade na Formação em Secretariado Executivo. Revista De Gestão E Secretariado, 7(1), 67–84. https://doi.org/10.7769/gesec.v7i1.411

Edição

Seção

COINS 2019