Novas Formas de Atuação do Profissional de Secretariado Executivo

Raul Vitor Oliveira Paes, Chussy Karlla de Souza Antunes, Cibelle da Silva Santiago, Mariane Ribeiro Zwierzikowski

Resumo



O presente artigo trata das novas formas de atuação do profissional de Secretariado Executivo no mercado de trabalho. Para mapear e compreender essas novas formas foi traçado um paralelo descritivo entre as características de cada nova área de atuação. Para isto foi adotada a pesquisa aplicada, sendo classificada como exploratória e descritiva, por meio de uma pesquisa bibliográfica, com tratamento feito pela análise de conteúdo. A partir disso, foram trabalhados cinco critérios para o mapeamento dessas novas formas de atuação: definição e esclarecimentos de cada atuação; perfil profissional requerido; expectativas do mercado e locais onde podem ser encontradas tais demandas. Para o atendimento das finalidades do trabalho, foram abordadas as seguintes formas de atuação: Assessoria – tanto em sua gênese bem como em formas atuais de exercício da função, como home office, escritórios virtuais e pool secretarial, consultoria secretarial e a área cooperativista. As conclusões apontam que tais áreas são pouco exploradas, mas já é possível perceber uma movimentação dos profissionais do secretariado iniciando suas atividades nessas áreas.



Palavras-chave


Assessoria; Consultoria Organizacional; Empreendedorismo

Texto completo:

PDF

Referências


Administradores (2013). Cinco habilidades para se trabalhar em equipe. Recuperado em 5 de maio, 2014, de http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/5-habilidades-fundamentais-para-se-trabalhar-em-equipe/77273/.

Albernaz, C. B. L. (2011). O secretário executivo como gatekeeper da informação. Tese de doutorado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Barros, C. M. P., Barbosa, M. F. S. & Silva, J. S. da (2012). Fundamentação da Gestão Secretarial: um estudo bibliométrico. Revista Gestão e Secretariado – GeSec. 3(2), 106-126. Recuperado em 9 agosto, 2013, de http://www.revistagesec.org.br/ojs-2.3.8/index.php/secretariado/article/view/114/pdf_14#.UgzdW3-gyUV.

Barros, C. M. P.; Vasconcelos, L. S.; Silva, J. S. da; Brito, D. G. S. & Silva Filho, M. C. da. (2012). A virtualidade no mundo do trabalho: um estudo sobre a atuação do secretário executivo virtual. Revista Expectativa, vol. XI nº 11, jan.-dez./2012. Recuperado em 31 agosto, 2013, de http://e-revista.unioeste.br/index.php/expectativa/issue/view/436/showToc.

Barros, A. J. da S. & Lehfeld, N. A. de S. (2000). Fundamentos de metodologia científica: Um guia para a iniciação científica (2a ed.) São Paulo: Makron Books.

Bortolotto, M. F. P. & Willers, E. M. (2005). Profissional de Secretariado Executivo: explanação das principais características que compõem o perfil. Revista Expectativa, 4(4), 45-56. Recuperado em 2 agosto, 2013, de http://e-revista.unioeste.br/index.php/expectativa/issue/view/105/showToc.

Block, P. (2013). Consultoria infalível: Um guia prático, inspirador e estratégico. (3a ed.) São Paulo: M. Books.

Castelo, M. J. (2007). A formação acadêmica e profissional do secretário executivo. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, Brasil.

Cervo, A.R. & Bervian, P. A. (2002). Metodologia científica (5a ed.) São Paulo: Prentice Hall.

Cots, M. E. R. (2007). Cooperativa de trabalho: Tratamento tributário e função social. Curitiba: Juruá.

Crúzio, H. de O. (2005). Como organizar e administrar uma cooperativa: Uma alternativa para o desemprego. (4a ed.) Rio de Janeiro: FGV.

Dale, E. & Urwick, L. F. (1971). Organização e assessoria. São Paulo: Atlas.

Décia, A. C. M. (2005). A Information Literacy na formação do neo-secretário executivo: um estudo de caso na Graduação de Secretariado/UFBA. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

Decreto 24.647, de 10 de julho de 1934. Revoga o decreto n. 22.239, de 19 de dezembro de 1932; Estabelece normas e princípios para a cooperação-profissional e para a cooperação social; faculta auxílios direitos e indiretos às cooperativas; e institui o Patrimônio dos Consórcios Patrimoniais Cooperativos. Recuperado 10 de maio, 2013, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1930-1949/D24647.htm.

Decreto-lei 59, de 21 de novembro de 1966. Define a política nacional de cooperativismo, cria o Conselho Nacional do Cooperativismo e dá outras providências. Recuperado em 10 de maio, 2013, de http://www.ocb.org.br/site/cooperativismo/arquivos/DecretoLei59_1966.pdf.

D’Elia, B., Amorim, M. & Sita, M. (2013). Excelência no Secretariado: a importância da profissão nos processos decisórios. São Paulo: Ser Mais.

Dicionário Michaelis. (s.d) Dicionário online. Recuperado em 14 de junho, 2013, de http://michaelis.uol.com.br/moderno/ingles/index.php?lingua=ingles-portugues&palavra=pool.

Durante, D. G. (2009). Gestão Secretarial: o desafio da visão holística. (Cap. 9, pp. 135-155). São Paulo: Viena.

Durante, D. G. & Santos, M. E. M. (2010). A autonomia do secretário: Uma questão de postura e valorização profissional. Secretariado Executivo em Revista. (Vol.6) Recuperado em 16 junho, 2013, de http://www.upf.br/seer/index.php/ser/article/view/2097/1313.

Frigotto, G. (2002). Apresentação. In: ________. Educação e crise do trabalho: perspectiva de final de século. 6a ed. Petrópolis, RJ: Vozes. (Coleção estudos culturais em educação.)

Garcia, E. V. (2000). Noções fundamentais para a secretária. São Paulo: Summus.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Gomes, A. R. (2007). Parceria entre o executivo e o profissional de secretariado. Mito ou realidade? Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Grion, L. (2008). A nova secretária: Metacompetente, proativa, dinâmica. São Paulo: Madras.

Hopp, M. I. R. (1965). Conflitos entre assessores e administradores de linha. RAE – Revista de Administração de Empresas, 5(15), 105-114. Recuperado em 15 novembro, 2013, de http://rae.fgv.br/sites/rae.fgv.br/files/artigos/10.1590_S0034-75901965001500006.pdf.

Lei 5.764 de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Recuperado 20 de Junho, 2013, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5764.htm.

Lei n. 7.377 de 30 de setembro de 1985. Dispõe sobre o exercício da profissão de secretário e dá outras providências. Recuperado 10 de maio, 2013 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7377consol.htm.

Lei n. 9261 de 10 de janeiro de 1996. Altera a redação dos incisos I e II do art 2°, o caput do art.3°, o inciso do VI do art. 4° e o parágrafo único do art. 6° da Lei n° 7.377, de 30 de setembro de 1985. Recuperado em 10 de maio de 2013, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9261.htm.

Mazulo, R. & Liendo, S. (2010) Secretária: rotina gerencial, habilidades comportamentais e plano de carreira. São Paulo: Senac.

Medeiros, J. B. & Hernandes, S. (2012). Manual da Secretária. (12a ed.) São Paulo: Atlas.

Nasser, M.(2008). Socorro: Trabalho em pool!. A arte de secretariar. Recuperado em 14 de julho, 2013, de http://aartedesecretariar.blog.terra.com.br/2008/10/17/socorro-trabalho-em-pool/.

Nonato Jr., R. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Financeiro, Internauta. O Mercado de Consultoria no Brasil. (2012) IG Finance: negócios e consultoria. Recuperado em 16 de junho, 2013, de http://www.igfinance.com.br/noticias-fotos-e-videos/o-mercado-de-consultoria-no-brasil/.

Pati, C. (2012a). As áreas que mais contratam em esquema de home office. Revista Exame. Recuperado em 14 de julho, 2013, de http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/as-areas-que-mais-contratam-em-esquema-de-home-office?page=2.

Pati, C. (2012b). Quatro perfis de profissionais que não combinam com o home office. Revista Exame. Recuperado em 29 de junho, 2013, de http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/4-perfis-de-profissionais-que-nao-combinam-com-home-office?page=2.

Pereira, S. R. G. & Büllau, H. (2009). Escritórios virtuais: uma opção de prestação de serviços secretariais. In Durante, D.G. & Fávero, A. A, (org.). Gestão Secretarial: formação e atuação profissional. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo.

Possas, M. L. (n.d.) Os conceitos de mercado relevante e de poder de mercado no âmbito da defesa da concorrência. Recuperado em 10 de junho, 2013, de: http://www.ie.ufrj.br/grc/pdfs/os_conceitos_de_mercado_relevante_e_de_poder_de_mercado.pdf.

Roesch, S. M. A. (1999). Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágio, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Rodrigues, A. G. (2002). O papel do consultor administrativo externo no fortalecimento do negócio. Belém, recuperado em 4 de julho, 20130, de http://www.planoauditoria.com.br/site/download/110908_monografia_adna.pdf.

Sabino, R. F. (2006). A profissão de secretário executivo no Brasil: políticas para formação e emprego. Dissertação de Mestrado, Universidade São Marcos, Tatuapé, SP, Brasil.

Sabino, R. F. & Marchelli, P. S. (2009). O debate teórico-metodológico no campo do secretariado: pluralismos e singularidades. Cad. Ebape. Br, 7(4), 607-621. Recuperado em 14 outubro, 2011, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512009000400006&lng=pt&nrm=iso.

Santos, C. V. dos & Caimi, F. E.(2009). Secretário executivo: formação, atribuições e desafios profissionais. In: Durante, D. G., Fávero, A. A. (org.). Gestão secretarial: formação e atuação profissional. Passo Fundo, RS: Ed. Universidade do Passo Fundo.

Schirigatti, E. L. & Kasprzak, L. F. F. (2007). Home Office: origem, conceito e interferências sobre o significado social do novo modelo de trabalho flexível. Revista Científica de Administração e Sistema de Informação. (Vol. 8, n. 8) Recuperado em 14 de julho, 2013, de http://www.faculdadeexpoente.edu.br/upload/noticiasarquivos/1208992587.pdf..

Souza, I. F. & Silva Filho, G. A. (2010). Mercado de trabalho para o profissional de Secretariado Executivo no município de Cuiabá/MT. Anais do Simpósio de Excelência de Gestão e Tecnologia. Resende, RJ, Brasil, 7.

Tortorette, M. (2010). Trabalho em equipe: desenvolva esta habilidade. Catho. Recuperado em 30 de junho, 2013, de http://www.catho.com.br/carreira-sucesso/sem-categoria/trabalho-em-equipe-desenvolva-esta-habilidade.

Vergara, S. C. (2007). Projetos e relatórios de pesquisa em administração (9a ed.). São Paulo: Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.7769/gesec.v6i1.318

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Raul Vitor Oliveira Paes, Chussy Karlla de Souza Antunes, Cibelle da Silva Santiago, Mariane Ribeiro Zwierzikowski

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista de Gestão e Secretariado - GeSeC e-ISSN:2178-9010

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia