Secretariar ou não Secretariar? Eis a Questão: Um Estudo sobre a Evasão no Curso de Secretariado Executivo

Luana Dias Schuarcz, Mariana Pereira Cardoso de Sá, Déris Warmuth, Marlete Beatriz Maçaneiro

Resumo


Esta pesquisa tem por objetivo analisar as causas da evasão entre os ingressantes do curso de Secretariado Executivo em duas Universidades Públicas do Paraná, entre o período de 2009 a 2012. O estudo se caracteriza por ser um levantamento (survey) e a metodologia utilizada considerou os dados coletados por meio da aplicação de um questionário envolvendo uma amostra do universo dos evadidos do curso de Secretariado Executivo de ambas as Universidades. Os resultados encontrados, mediante uma análise quantitativa e o diálogo com o referencial teórico pesquisado sobre o tema, elencaram os principais fatores que levaram os alunos a desistirem do curso de Secretariado Executivo. As causas da evasão podem ser externas à instituição, ligadas a características individuais do evadido, como habilidades de estudo, incompatibilidade de horários e desencanto com o curso, escolha precoce da profissão e descoberta de novos interesses. Mas também podem ser internas relacionadas à estrutura do curso e ou da Universidade, o desinteresse do docente, critérios impróprios de avaliação e a falta de programas institucionais para o aluno. Não está ao alcance dos envolvidos com o curso de Secretariado Executivo interferir nas causas externas da evasão relacionadas à personalidade do aluno, mas em relação aos déficits institucionais internos mencionados pelos evadidos.

DOI: 10.7769/gesec.v5i1.167


Palavras-chave


evasão no ensino superior, causas da evasão, Secretariado Executivo

Texto completo:

PDF

Referências


Adachi, A. A. C. T. (2009). Evasão e evadidos nos cursos de graduação da Universidade Federal de Minas Gerais. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Recuperado em 20 maio, 2012, de http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/1843/HJPB-7UPMBA/1/disserta__o_ana_am_lia_adachi.pdf.

Almeida, O. C. de S. de (2008). Evasão em cursos a distância: análise dos motivos de desistência. 12 f. Relatório de Pesquisa, Universidade de Brasília, Distrito Federal. Recuperado em 20 maio, 2012, de http://www.abed.org.br/congresso2008/tc/552008112738PM.pdf.

Brasil. Ministério da Educação e Cultura/Inep. (2010). Censo da educação superior. Recuperado em 14 abril, 2012, de http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/resumo_tecnico/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2010.pdf.

Brasil. Ministério de Educação e Cultura. Secretaria de Ensino Superior. (1995). Comissão especial de estudos sobre a evasão nas universidades públicas brasileiras. Brasília, DF: Andifes/Abruem, Sesu, MEC. Recuperado em 6 maio, 2012, de http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=24676.

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq (2013). Bolsas – modalidade. Recuperado em 25 abril, 2012, de http://www.cnpq.br/web/guest/apresentacao13.

Cobra, M. & Braga, R. (2004). Marketing educacional: ferramentas de gestão para instituições de ensino. São Paulo / Espírito Santo: Cobra / Unir. Recuperado em 10 maio, 2012, de http://books.google.com.br/.

Faria, E. (2011). A necessidade de uma educação mais inclusiva e de maior qualidade. Recuperado em 1º abril, 2012, de http://estudandoeducacao.com/2011/04/21/a-necessidade-de-uma-educacao-mais-inclusiva-e-de-maior-qualidade.

Fenassec – Federação Nacional das Secretárias e Secretários (2012). Recuperado em 17 novembro, 2012, de http://www.fenassec.com.br.

Freire, P. (1983). Educação como prática da liberdade. (18a ed.) Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Fundação Araucária. (2012). Programas de apoio financeiro. Recuperado em 25 abril, 2012, de http://www.fundacaoaraucaria.org.br/institucional/institucional.htm.

Gil, A. C. (2010). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6a ed.) São Paulo: Atlas.

Marconi, M. de A., & Lakatos, E. M. (210). Fundamentos de metodologia científica. (7a ed.) São Paulo: Atlas.

Martins, C. B. N. (2007). Evasão de alunos nos cursos de graduação em uma instituição de ensino superior. Dissertação de Mestrado, Faculdades Integradas Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo-MG. Recuperado em 10 maio, 2012, de http://www.fpl.edu.br/2012/media/pdfs/05.mestrado/dissertacoes_2007/dissertacao_cleidis_beatriz_nogueira_martins_2007.pdf.

Mazzeto, S. E. & Carneiro, C. C. (2002). Licenciatura em Química da UFC: Perfil socioeconômico, evasão e desempenho. Química Nova, São Paulo, 25, 1204-1210, nov./dez. Recuperado em 20 maio, 2012, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422002000700024〈=pt.

Nonato Júnior, R. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. Fortaleza, CE: Expressão Gráfica.

Oliveira, C. B. E. & Marinho‐Araújo, C. M. (2010). A relação família‐escola: interseções desafios. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, 27(1), 99-108, jan./mar. Recuperado em 20 maio, 2012, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2010000100012&lng=en&nrm=iso.

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE (2010). Panorâmica da educação 2010: indicadores da OCDE – Sumário em português. Recuperado em 1º abril, 2012, de http://www.oecd.org/edu/highereducationandadultlearning/45953903.pdf.

Paraná. Secretaria de Estudo da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. (2010). Relatório final II conferência estadual de ciência e tecnologia e inovação do Paraná. Curitiba, 1 e 2 de março – Fundação Araucária. Recuperado em 25 abril, 2012, de fundaçaoaraucária.org.br/cecti/CECTI2010_RelatorioBrasilia.pdf.

Pereira, J. T. V. (1997). Estudos sobre diplomação, retenção e evasão: universidades públicas paulistas. Campinas, SP: Unicamp.

Polydoro, S. A. J., Santos, A., Medeiros, V. C. & Natario, E. G. (2005). Percepção de estudantes evadidos sobre sua experiência no ensino superior. In: Joly, M. C., Santos, A. A. A. dos & Sisto, F. F. (orgs.). Questões do cotidiano universitário. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Reis, L. G. (2008). Produção de monografia, da teoria a prática. Brasília, DF: Senac. Recuperado em 17 maio, 2012, de http://books.google.com.br/books?id=syG59k2nRogC&pg=PA58&dq=pesquisa+quantitativa&hl=pt-BR&ei=tZ21T4DaIMjVgQfa7PEa&sa=X&oi=book_result&ct=book-thumbnail&resnum=4&ved=0CFMQ6wEwAw#v=onepage&q=pesquisa%20quantitativa&f=false.

Ribeiro, M. A. (2005). O projeto profissional familiar como determinante da evasão universitária: um estudo preliminar. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 6, 55-70. Recuperado em 11 maio, 2012, de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v6n2/v6n2a06.pdf.

Sampaio, B., Sampaio, Y., Mello, E. P. G. de, & Melo, A. S. (2011). Desempenho no vestibular, background familiar e evasão: evidências da UFPE. Economia Aplicada, 15, 287-309, jun. Recuperado em 11 maio, 2012, de http://www.scielo.br/pdf/ecoa/v15n2/v15n2a06.pdf.

Silva Filho, R. L. L., Motejunas, P. R., Hipolito, O. & Lobo, M. B. de C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Caderno de Pesquisa, 37, 641-659. Recuperado em 20 maio, 2012, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422002000700024〈=pt.

Sinaes – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (2012). Recuperado em 26 abril, 2012, de http://portal.inep.gov.br/superior-sinaes.

Souza, P. N. P. de & Silva, E. B. da (2002). Como entender e aplicar a nova LDB (Lei n. 9.394/96). São Paulo: Pioneira.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v5i1.167

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Luana Dias Schuarcz, Mariana Pereira Cardoso de Sá, Déris Warmuth, Marlete Beatriz Maçaneiro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Licença Creative Commons
Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia