A Dinâmica e os Fatores Organizacionais Propiciadores à Ocorrência do Assédio Moral no Trabalho

Autores

  • Thiago Soares Nunes Universidade Federal de Santa Catarina
  • Suzana da Rosa Tolfo Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v4i2.161

Palavras-chave:

Assédio moral no trabalho, Bullying, Violência no trabalho, Gestão de Pessoas

Resumo

Neste artigo é apresentada uma revisão da literatura sobre o assédio moral, com uma abordagem voltada para a Ciência da Administração. Considera-se que no atual contexto existem alguns fatores organizacionais propiciadores à ocorrência do assédio moral, e que são importantes de ser compreendidos pelo administrador. O assédio moral trata-se de um processo complexo que inclui a interação de aspectos interpessoais, sociais (grupais) e organizacionais. A abordagem focada é a do assédio moral organizacional, cujo objetivo é fazer com que as agressões sirvam de exemplo para os membros organizacionais, para que estes alcancem as metas/objetivos estabelecidos pela organização a qualquer custo. Ressalta-se que existem alguns fatores organizacionais que podem propiciar o assédio, como a mudança da natureza e da organização do trabalho, cultura e clima organizacional, e liderança. Buscaram-se nos modelos propostos subsídios conceituais explicativos do fenômeno, os quais demonstram a interação dos diversos aspectos supracitados que influenciam na ocorrência.

DOI:10.7769/gesec.v4i2.161

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Soares Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Administração pela UFSC. Especialização em Gestão de Pessoas pela UFSC. Graduado em Administração pela UFSC. Pesquisador do Núcleo de Estudos do Trabalho e Constituição do Sujeito (NETCOS/UFSC).

Suzana da Rosa Tolfo, Universidade Federal de Santa Catarina

Secretária Adjunta da Secretaria de Gestão de Pessoas (SEGESP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Programa de Graduação e Pós-Graduação em Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSC. Doutora em Administração pela Universidade Federal de Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Administração pela UFSC. Graduação em Psicologia pela UFSC. Vice Coordenadora do Núcleo de Estudos do Trabalho e Constituição do Sujeito (NETCOS/UFSC).

Referências

Barreto, M. M. S. (2006). Violência, saúde e trabalho: uma jornada de humilhações. São Paulo: Educ.

Bradaschia, C. A. (2007). Assédio moral no trabalho: a sistematização dos estudos sobre um campo em construção. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, Brasil.

Dejours, C. (2007). A banalização da injustiça social. 7a ed. Rio de Janeiro: FGV.

Di Martino, V.; Hoel, H. & Cooper, C. L. (2003). Preventing violence and Harassment in the workplace. Dublin: European Foundation for the Improvement of Living and Working Conditions.

Einarsen, S. (2005). The nature, causes and consequences of bullying at work: The Norwegian experience. Pistes, 7(3), pp. 1-14.

Einarsen, S.; Hoel, H.; Zapf, D. & Cooper, C. L. (2011). The concept of bullying and harassment at work: the European tradition. In: Idem (orgs.). Bullying and harassment in the workplace: Developments in theory, research, and practice. London: Taylor & Francis, pp. 3-39.

Einarsen, S.; Hoel, H.; Zapf, D. & Cooper, C. L. (2003). The concept of bullying at work: the European tradition. In: Idem (orgs.). Bullying and emotional abuse in the workplace: International perspectives in research and practice. London: Taylor & Francis, pp. 3-30.

Einarsen, S.; Hoel, H.; Zapf, D. & Cooper, C. L. (2005). Workplace Bullying: individual pathology or organizational culture? In Bowie, V.; Fischer B. S. & Cooper C. L. (orgs.). Workplace violence: issues, trends, strategies. Devon: Willian Publishing, pp. 229-247.

Freitas, M. E. (2001). Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Revista de Administração de Empresas. São Paulo: FGV, 41 (2), pp. 8-19.

Freitas, M. E. (2007). Cultura organizacional: evolução e crítica. São Paulo: Thomson Learning.

Freitas, M. E.; Heloani, J. R. & Barreto, M. M. S. (2008). Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage Learning.

Gosdal, T. C.; Soboll, L. A.; Schatzmam, M. & Eberle, A. D. (2009). Assédio moral organizacional: esclarecimentos conceituais e repercussões. In: Gosdal, T. C. & Soboll, L. A. (orgs.). Assédio moral interpessoal e organizacional: Um enfoque interdisciplinar. São Paulo: LTr, pp. 33-41.

Heloani, J. R. (2005). Assédio moral: a dignidade violada. Aletheia, 22, pp. 101-108.

Hirigoyen, M.-F. (2008). Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Hoel, H. & Salin, D. (2003). Organisational antecedents of workplace bullying. In: Einarsen, S.; Hoel, H.; Zapf D. & Cooper C. L. (orgs). Bullying and emotional abuse in the workplace: International perspectives in research and practice. London: Taylor & Francis, pp. 203-218.

Leymann, H. (1990). Mobbing and Psychological Terror at Workplaces. Violence and Victims, 5(2), pp. 119-126.

Leymann, H. (1996). The Content and Development of Mobbing at Work. European Journal of Work and Organizational Psychology, 5(2), pp. 165-184.

Lubit, R. (2002). O impacto dos gestores narcisistas nas organizações. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, 42(3), pp. 66-77.

Martiningo Filho, A. (2007). Assédio moral e gestão de pessoas: Uma análise do assédio moral no trabalho e o papel da área de gestão de pessoas. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Morgan, G. (2009). Imagens da organização. São Paulo (SP): Atlas.

Nunes, T. S. (2011). Assédio moral no trabalho: o contexto dos servidores da Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil.

Nunes, T. S. & Tolfo, S. R. (2012a). Políticas y prácticas de prevención y combate al acoso moral en una universidad brasileña. Salud de los Trabajadores, 20(1), pp. 61-73.

Nunes, T. S. & Tolfo, S. R. (2012b). Prevenção e desenvolvimento de uma política anti-assédio moral no trabalho. Anais do XXXVI Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, Brasil.

Oliveira, D. P. R. (2008). Teoria geral da administração: uma abordagem prática. São Paulo: Atlas.

Ramos, A. G. (1989). A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. 2a ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Salin, D. (2003a). Ways of explaining workplace bullying: a review of enabling, motivating and precipitating structures and processes in the work environment. Human Relations, 56, pp. 1.213-1.232.

Salin, D. (2003b). Workplace bullying among business professionals: Prevalence, organisational antecedents and gender differences. Doctoral dissertation. Research Reports, Serie A, no 117. Helsinki: Swedish School of Economics and Business Administration.

Selfridge, R. J. & Sokolik, S. L. (1975). A comprehensive view of organizational management. MSU Business Topics, 23(1), pp. 46-61.

Sina, A. (2007). A outra face do poder. São Paulo: Saraiva.

Skogstad, A.; Matthiesen, S. B. & Einarsen, S. (2007). Organizational changes: A precursor of bullying at work?. International Journal of Organization Theory and Behavior, 10, pp. 58-94.

Tachizawa, T.; Cruz Júnior, J. B. & Rocha, J. A. O. (2006). Gestão de negócios: visões e dimensões empresariais da organização. São Paulo: Atlas.

Vartia, M. (2003). Workplace bullying: A study on the work environment. well-being and health. Doctoral Dissertation. People and Work Research Reports 56. Helsinki: Finnish Institute of Occupational Health.

Zapf, D. & Einarsen, S. (2003). Individual antecedents of bullying: victims and perpetrators. In: Einarsen, H.; Hoel, D.; Zapf D. & Cooper, C. L. (orgs.). Bullying and emotional abuse in the workplace: International perspectives in research and practice. London: Taylor & Francis, pp. 165-184.

Downloads

Publicado

2013-11-05

Como Citar

Nunes, T. S., & Tolfo, S. da R. (2013). A Dinâmica e os Fatores Organizacionais Propiciadores à Ocorrência do Assédio Moral no Trabalho. Revista De Gestão E Secretariado, 4(2), 90–113. https://doi.org/10.7769/gesec.v4i2.161

Edição

Seção

Artigos