Os desafios do secretário executivo como sujeito pesquisador

Juliana Cidrack Freire do Vale, Stefani de Souza, Elaine Rossi, Kátia Denise Moreira

Resumo


Em níveis mais avançados, a pesquisa se materializa por meio da pós-graduação stricto sensu, cujo objetivo é a formação de alto nível, naquilo que se refere ao exercício de funções relacionadas à produção de conhecimento. Todavia, a inserção nesses programas acontece por meio de processo seletivo rígido, que exige do candidato, dentre outros, a aproximação com as linhas de pesquisa ofertadas e considerável produção científica. Nessa direção, o secretariado encontra-se frente a uma barreira, visto que não há cursos de pós-graduação stricto sensu específicos para a área e, ainda, experiencia diversos desafios para a sua consolidação como campo de conhecimento. Dessa maneira, tem-se como objetivo deste estudo verificar quais foram os desafios enfrentados pelos servidores técnico-administrativos secretários-executivos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na inserção em um programa de pós-graduação stricto sensu. Para tanto, realizou-se um estudo de campo com os Secretários que já cursaram ou estão cursando mestrado e doutorado. Em termos metodológicos, este estudo caracteriza-se como básico, descritivo e de abordagem qualitativa. Como resultado, identificou-se que as adversidades são equilibradas, porém, acredita-se que todas têm uma mesma origem, qual seja, a falta de experiência/maturidade em termos de atuação no campo científico.


Palavras-chave


secretariado executivo. pós-graduação stricto sensu. pesquisa científica.

Texto completo:

PDF

Referências


Babbie, F. & Mouton, J. (1998). The practice of social research. Cape Town: Oxford University Press.

Baptista, M. A. O. (2009). Formação do senso crítico no ensino superior: perspectivas em um curso de Pedagogia. Dissertação de mestrado, Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Bardin, L. (1997). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Barros, C. M. P., Silva, J. S., Sousa, E. F. & Silva, F. E. R. (2018). A gestão secretarial como proposta teórica: elaborando o estado da questão. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Especial 80 Anos FEAAC - 2018, 84-114.

Bifano, M. R. (2009). A Pós-Graduação Stricto Sensu no Brasil. Recuperado em 20 julho, 2019, de http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/14922/14922_4.PDF.

Bíscoli, F. R. V. & Bilert, V. S. S. (2013). A evolução do Secretariado Executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. Revista Expectativa, 12(12), 9-42.

Borges, M. M. & Casado, E. S. (2009). A ciência da informação criadora do conhecimento. Coimbra: IDIBCIC.

Brasil. (2005). Lei n.º 11.091, de 12 de janeiro de 2005. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 12 jan. Recuperado em 23 março, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11091.htm

Calazans, J. (Org.) (2002). Iniciação científica: construindo o pensamento crítico. São Paulo: Cortez.

Carminatti, M. & Scopinho, R. A. (2011). Estudos científicos na área de secretariado. Revista das Faculdades Integradas Claretianas, (4), 136-148.

Durante, D. G. (2012). A evolução da profissão secretarial por meio da pesquisa. In Durante, D. G. (Org.). Pesquisa em Secretariado: cenários, perspectivas e desafios. Passo Fundo: Ed. UPF.

Fantinato, M. (2015). Métodos de pesquisa. Recuperado em 10 junho, 2019, de http://each.uspnet.usp.br/sarajane/wp-content/uploads/2015/09/Métodos-de-Pesquisa.pdf.

Gerhardt, T. E. & Silveira, D. T. (Org.) (2009). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Ed. UFRGS.

Hoeller, P. A. F. (2006). A natureza do conhecimento em secretariado executivo. Revista Expectativa, Unioeste - Toledo, 5(5), 139-145.

Leal, F. G. (2014). Competências secretariais requeridas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Leal, F. G., Silva, A. C. F. & Dalmau, M. B. L. (2014). Análise das avaliações dos concursos públicos realizados pelas IFES para o cargo de secretário-executivo sob a ótica da Gestão por Competência. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, 16(40), 191-207.

Leal, F. G., Souza, S. & Moreira, K. D. (2018). Atuação do secretário executivo na gestão universitária pública: o estado do conhecimento sobre a questão. Revista de Gestão e Secretariado, São Paulo, 9(1), 66-89.

Leal, F. G., Santos, L. S. & Moraes, M. C. B. (2018). “Conhece-te a ti mesmo”: um olhar para o campo de pesquisa em Secretariado Executivo no Brasil. Revista Expectativa, Toledo, 17(1).

Maçaneiro, B. M. & Kuhl, M. R. (2013). Estado da arte e o rumo do conhecimento científico em Secretariado Executivo: mapeamento e análise de áreas de pesquisa. Revista de Gestão e Secretariado, São Paulo, 4(3), 157-188.

Martins, C. B, Leal, F. G, Souza, E. C. P. & Todorov, M. C. A. (2017). A busca da cientificidade do Secretariado no contexto brasileiro: aspectos históricos e contemporâneos. Revista Gestão em Análise, Fortaleza, 6(1/2), 270-286.

Müller, R. & Sanches, F. C. (2014). Pesquisa acadêmica em Secretariado Executivo: um estudo de caso na Revista Expectativa. Revista Expectativa, (13), 09-28.

Nonato, R. (2009). Epistemologia do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências das assessorias. Fortaleza: Gráfica expressão.

Pereira, A. & Dathein, R. (2012). Processo de aprendizado, acumulação de conhecimento e sistemas de inovação: a co-evolução das tecnologias físicas e sociais como fonte de desenvolvimento econômico. RBI-Revista Brasileira de Inovação, 11(1), 137–166.

Pinho, M. J. (2017). Ciência e ensino: contribuições da iniciação científica na educação superior. Avaliação, 22(3), 658-675.

Prodanov, C. & Freitas, E. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale.

Sabino, R. F. & Marchelli, P. S. (2009). O debate teórico-metodológico no campo do secretariado: pluralismos e singularidades. Cadernos EBAPE.BR, 7(4), 607-621.

Schmidt, C. M., Wenningkamp, K. R., Cielo, I. D. & Sanches, F. C. (2018). Produção científica do grupo de pesquisa em Secretariado Executivo bilíngue rumo ao stricto sensu: mutatis mutandis. Revista de Gestão e Secretariado, 9(1), 18-41.

Severino, A. J. (2009). Pós-graduação e pesquisa: o processo de produção e de sistematização do conhecimento. Revista Diálogo Educacional, 9(26), 13-27.

Silva, J. S., Barros, C. M. P. & Nascimento, A. S. S. (2016). Cenário da produção bibliográfica nacional em secretariado nos anos de 2004 a 2013. Revista Capital Científico, 14(2), 60-75.

Souza, S. (2017). O quadro de pessoal do cargo de secretário executivo na Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Souza, E. C. P., Galindo, A. G. & Martins, C. B. (2015). A produção acadêmico-científica no campo do Secretariado: mapeamento de dissertações e teses no período de 1999 a 2013. Revista de Administração Geral, 1(1), 154-173.

Triviños, A. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v11i1.1089

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Juliana Cidrack Freire do Vale, Stefani de Souza, Elaine Rossi, Kátia Denise Moreira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia