Evasão nos cursos de Secretariado Executivo no Brasil: uma análise necessária

Ivanete Daga Cielo, Fernanda Cristina Sanches-Canevesi, Carla Maria Schmidt, Kessy Brendalee Tolentino

Resumo


A evasão de acadêmicos no ensino superior tem se tornado um problema que afeta a educação brasileira, impactando tanto às instituições de ensino superior, quanto a sociedade de modo geral. Isso porque, a evasão propicia o desperdício de recursos, gera subaproveitamento do capital humano, além de que, por não ter se graduado, o aluno não oferece o retorno esperado à sociedade. Assim sendo, com base em aporte teórico da área da Educação, a presente proposta busca contribuir com essa discussão na área de Secretariado Executivo. Para tanto, esse estudo objetiva investigar o cenário de evasão de alunos de graduação nos cursos de Secretariado Executivo no país, bem como, identificar as causas da evasão de estudantes do curso de Secretariado Executivo da Unioeste. Para atingir os objetivos, a pesquisa foi desenvolvida a partir de dados secundários do Censo da Educação Superior (INEP/MEC) entre os anos 2012 a 2017 e ainda, de dados primários obtidos com alunos evadidos do Curso de Secretariado da Unioeste. Os principais resultados apontam para uma evasão média de 45% nos distintos cursos de Secretariado do país e de um cenário de retração da oferta de vagas e de cursos na área. Em relação as causas da evasão na Unioeste, constatou-se que aspectos externos a instituição - vinculados em sua maioria a insatisfação com as perspectivas do mercado de trabalho para a área secretarial - exercem significativa influência na decisão de evadir-se do curso.


Palavras-chave


Secretariado Executivo. Evasão. Ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Abbad, G., Carvalho, R. S., & Zerbini, T. (2006). Evasão em curso via internet: explorando variáveis explicativas. RAE eletrônica., 5(2), São Paulo, jul./dez. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-56482006000200008, em: 25 mar. 2019.

Adachi, A. A. (2017). Evasão de estudantes de cursos de graduação da USP – Ingressantes nos anos de 2002, 2003 e 2004. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo: São Paulo.

Baggi, C. A. S. & Lopes, D. A. (2010). Evasão e avaliação institucional no ensino superior: uma discussão bibliográfica. Avaliação. Campinas; Sorocaba, SP., 16(2), 355-374.

Bardagi, M. P. & Hutz, C. S. (2012). Rotina acadêmica e relação com colegas e professores: Impacto na evasão universitária. Psico, 43(2), 174-184.

Bíscoli, F. R. V. & Bilert, V. S. S. (2013). A evolução do Secretariado Executivo: caminhos prováveis a partir dos avanços da pesquisa científica e dos embates teóricos e conceituais na área. Revista Expectativa, 12(12).

Braga, M. M., Peixoto, M. C. L., & Bogutchi; T. F. (2003). A evasão no ensino superior brasileiro: o caso de UFMG. Avaliação: Revista de rede de avaliação institucional da educação superior. Campinas, 8(3), 161-189, set.

BRASIL. (1996). Lei Nº 9.261, de 10 de janeiro de 1996. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9261.htm., em 02 maio 2017.

BRASIL. (2017). Ministério da Educação. Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Recuperado de http://portal.mec.gov.br/, em 01 maio 2017.

Carriel, P. & Lopes, J. M. (2019). Cotistas desistem menos, mas se formam mais tarde. Gazeta do Povo. Recuperado de https://www.enemvirtual.com.br/cotistas-desistem-menos-mas-se-formam-mais-tarde/, em 01 jul. 2019.

Cerqueira, T. C. S. (2003). Evasão do curso de Pedagogia da UnB: A interpretação do aluno evadido. In: III Congresso Norte-Nordeste de Psicologia Construindo a Psicologia Brasileira. 3., 2003, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, p. 282-283.

Cielo, I. D., Schmidt, C. M. & Wenningkamp, K. R. (2014). Secretariado Executivo no Brasil: Quo Vadis? Revista de Gestão e Secretariado, 5(3), p. 49.

Costa, R. M. (2005). Evasão no ensino superior privado – como podemos evitá-la? Recuperado de http://abmeseduca.com/?p=3411, em 28 abr. 2019.

Cunha, J. V. A., Nascimento, E. M., & Durso, S. de O. (2016). Razões e influências para a evasão universitária: um estudo com estudantes ingressantes nos cursos de Ciências Contábeis de instituições públicas federais da região sudeste. Advances in Scientific and Applied Accounting. São Paulo, 9(2), 141 – 161, maio/ago.

FENASSEC – FEDERAÇÃO NACIONAL DAS SECRETÁRIAS E SECRETÁRIOS. (2017). Profissão Secretariado. Recuperado de https://www.fenassec.com.br/.ecrethtml., em 22 abr. 2019.

Furtado, V. V. A. & Alves, T. W. (2012). Fatores determinantes da evasão universitária: uma análise com alunos da Unisinos. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 10(2), 115-129.

Gaioso, N. P. de L. (2005). O fenômeno da evasão escolar na educação superior no Brasil. 75 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica de Brasília, Brasília.

Galindo, A. G., Souza, E. C. P. & Carvalho, I. C. (2012). Competências declaradas para atuação do profissional de secretariado executivo sob a perspectiva dos acadêmicos da Universidade Federal do Amapá. Revista Expectativa, 1(11) 9-30.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Hirye, E. S., Higa, N., & Altoé, S. M. L. (2016). Diversidade educacional: uma abordagem no ensino da matemática na EJA. Curitiba: InterSaberes.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. (2015). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Recuperado de https://www.ibge.gov.br, em 03 abr. 2019

INEP - Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas educacionais Anísio Teixeira - Ministério da Educação e Cultura. (2015). Censo da Educação Superior. Recuperado de http://inep.gov.br/censo-da-educacao-superior, em: 05 mai. 2019.

IPEA - INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. (2013). Radar: tecnologia, produção e comércio exterior 2009-2012. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais, de Inovação, Regulação e Infraestrutura. Brasília: Ipea.

Kotler, P. & Fox, K. F. A. (1994). Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo: Atlas.

Lobo, M. B. C. M. (2012). Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas e soluções. Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior.

Martins, C. B. N. (2007). Evasão de alunos nos cursos de graduação em uma instituição de ensino superior. (Dissertação) Mestrado Profissional de Administração - Fundação Pedro Leopoldo, Confins/MG.

MEC - Ministério da Educação e Cultura. (1996). Diplomação, retenção e evasão nos cursos de graduação em instituições de ensino superior públicas. Avaliação: Revista de rede de avaliação institucional da educação superior. Campinas, 1(2), 55-65, dez.

MEC - Ministério da Educação e Cultura. (2016). Altos índices de desistência na graduação revelam fragilidade do ensino médio, avalia ministro. Recuperado de https://bit.ly/3a1Z86v, em 05 jun. 2019.

Mendonça Filho, J. (2016). Número de novos alunos em cursos superiores presenciais cai em 2016. Recuperado de https://g1.globo.com/educacao/noticia/numero-de-novos-alunos-em-cursos-superiores-presenciais-cai-em-2016, em 25 jun. 2019.

Oliveira, F. B. (2009). Desafios da educação: contribuições estratégicas para o ensino superior. Rio de Janeiro: E-papers.

Oliveira, R. A., Souza, J. T., & Morales, R. N. (2012). Indicadores do perfil pessoal que tipificam estudantes do curso de secretariado executivo ingressantes no IFMT em 2010. Recuperado de http://www.fenassec.com.br/xviii_consec_2012, em 12 maio 2019.

Pereira, J. T. V. (2003). Uma contribuição para o entendimento da evasão: Um estudo de caso. São Paulo: UNICAMP.

Prim, A. L. & Fàvero, J. D. (2013). Motivos da evasão escolar nos cursos de ensino superior de uma faculdade na cidade de Blumenau. E-Tech: Tecnologias para competitividade Industrial, Florianópolis, n. Especial Educação, p. 53-72.

Rodrigues, A. A., Rosa, J. R. S., Ferko, G. P. S., & Melo, M. M. B. (2016). Empregabilidade profissional: o secretariado executivo em foco na amazônia setentrional. Revista de Gestão e Secretariado - GeSec, São Paulo, 7(3), 66-95, set./dez.

Sabino, R. F. & Rocha, F. G. (2004). Secretariado: do escriba ao web writer. Rio de Janeiro: Brasport.

Santos Junior, J. S. & Real, G. C. M. (2017). A evasão na educação superior: o estado da arte das pesquisas no Brasil a partir de 1990. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, 22(2), 385-402, jul.

Scali, D. F. (2009). Evasão nos Cursos Superiores de Tecnologia: a percepção dos estudantes sobre seus determinantes. 2009. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas.

Schargel, F. P. & Smink, J. (2002). Estratégias para Auxiliar o Problema de Evasão Escolar. Rio de Janeiro: Dunya.

Sguissardi, V. (2008). Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado/mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educ. Soc., 29(105), 991-1022.

Silva Filho, R. L. L., Motejunas, P. R., Hipólito, O., & Lobo, M. B. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa, 37(132), 641- 659, set./dez..

Silva, G. P. (2013). Análise de evasão no ensino superior: uma proposta de diagnóstico de seus determinantes. Avaliação (RAIES – Revista da Avaliação da Educação Superior), Campinas e Sorocaba/SP, 18(3), 311-333.

Tigrinho, L. M. V. (2008). Evasão Escolar nas Instituições de Ensino Superior. Revista Gestão Universitária. São Paulo. Recuperado de http://www.gestaouniversitaria.com.br/index.php?option=com, em 04 mai. 2019.

Triviños, A. N. S. (2006). Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas.

Veloso, T. C. M. A. & Almeida, E. P. (2002). Evasão nos cursos de graduação da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Cuiabá: Um processo de exclusão. Cuiabá, MT: UFMT.

Yin, R.K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. 4ª ed. Porto Alegre/RS: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v11i1.1074

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Ivanete Daga Cielo, Fernanda Cristina Sanches-Canevesi, Carla Maria Schmidt, Kessy Brendalee Tolentino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia