Canais online de comunicação sobre o secretariado: um mapeamento introdutório de perfis no Instagram

Raul Vitor Oliveira Paes, Joyce Magno Rodrigues, Priscila Eny Souza Oliveira

Resumo


Vive-se em um ambiente permeado por novas tecnologias e formas de ver o mundo, que contribuem para que a informação se propague com rapidez e eficácia, atingindo públicos diversos e variados. Desse modo, o estudo buscou analisar quais são os perfis online voltados especificamente ao secretariado, e como podem ser compreendidos, com foco na plataforma Instagram. O referencial teórico foi concentrado nas temáticas redes e mídias sociais, canais e comunidades online profissionais e empresariais, com foco específico no secretariado. A metodologia empregada foi de caráter exploratório, com abordagem de métodos mistos, com aplicação da técnica da coleta de levantamento e, para a análise de dados, as técnicas de distribuição de frequências e análise de conteúdo. Os resultados evidenciaram um número expressivo de perfis online voltado a área secretarial (28 perfis), bem como foi possível dividi-los em três categorias voltadas à compartilhamento de conteúdo, oferecimento de serviços e perfis híbridos. A maioria dos perfis no Instagram são microinfluenciadores dentro do âmbito secretarial, em termos numéricos de segmentação de seguidores. Além disso, evidenciou-se uma orientação dos perfis secretariais no Instagram para oferecimento de serviços.

Palavras-chave


Instagram; Perfis secretariais; Mídias sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Alcantara, S. R. A. S. de, Rocha, T. L. da C. G., & Ramos, L. (2015). Análise da utilização do Facebook na produção de conhecimento técnico por profissionais do Secretariado Executivo. Revista Expectativa, 14(1), 1-27.

Aragão, F. B. P, Farias, F. B, Mota, M. O & Freitas, A. A. F. (2016). Curtiu, comentou, comprou. A mídia social digital Instagram e o consumo. Revista Ciências Administrativas, 22(1), 130-161.

Araújo, P. C. (2010). O blog na era da informação como ferramenta de compartilhamento de informação, conhecimento e para a promoção profissional. Revista ACB: biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, 15(1), p. 201-213.

Araújo Neto, L. (2018). A utilização do Instagram como forma de ascensão profissional: a análise do perfil de um professor universitário. (Trabalho de conclusão de curso). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil. Recuperado de: https://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/8569. Acesso em: 14 jun. 2019.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bernardazzi, R. & Costa, M. H. B. V. (2017). Produtores de conteúdo no YouTube e as relações com a produção audiovisual. Communicare, São Paulo, 17(Edição especial), p.146-160.

Comitê Gerenciador de Internet. (2018). Acesso a internet por banda larga volta a crescer nos domicílios brasileiros. Recuperado de: https://www.cgi.br/noticia/releases/acesso-a-internet-por-banda-larga-volta-a-crescer-nos-domicilios-brasileiros/. Acesso em: 12 jun 2019.

Conde, R. A. A. (2019). Micro, Macro e Megainfluencers no Instagram: o efeito do número de seguidores e da relação parassocial com a audiência no poder de persuasão. (Dissertação de mestrado). Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Costa, L. P. da. (2017). O uso das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) na prática pedagógica do professor de matemática do ensino médio. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Costa, T. da, Chizzoni, C. C., & Vaz, C. M. (2019). Secretários executivos remotos ou in company: como se apresenta o mercado remoto para os profissionais de Secretariado? Secretariado Executivo Em Revist@, 15(1), 62-76. https://doi.org/10.5335/ser.v15i1.8364

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed.

Gerhardt, T. E., Silveira, D. T. (Org). (2009). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Guedes, V. L. S. (2012) A bibliometria e a gestão da informação e do conhecimento científico e tecnológico: uma revisão da literatura. Ponto de Acesso, Salvador, 6(2), p. 74-109.

Home iG. #Instagram tem 500 milhões de usuários em todo o mundo. Recuperado de: https://www.ig.com.br/tudo-sobre/instagram/. Acesso em: 14 jun. 2019.

Karhawi, I. (2017). Influenciadores digitais: conceitos e práticas em discussão. In: Anais do XI Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, 11., Belo Horizonte. Anais eletrônicos. p. 1-15. Recuperado de: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/acessolivre/anais/abrapcorp/assets/edicoes/2017/arquivos/15.pdf. Acesso em: 12 jun. 2019.

Lévy, P. (1999). A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola.

Oliveira, L. P., Ferreira, E. P. da S. & Melo, A. K. E. de. (2016). As redes sociais e plataformas profissionais: refletindo sua existência no cotidiano profissional dos secretários executivos da cidade de Fortaleza - CE. Secretariado Executivo em Revist@, 12, 30-38. doi: https://doi.org/10.5335/ser.v12i0.6174.

Patrício, M. R. V. & Gonçalves, V. M. B. (2010). Utilização Educativa do Facebook no Ensino Superior. Recuperado de: https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/2879/4/7104.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

Recuero, R. (2009). Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina.

Roesch, S. M. A. (1999). Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. 2. Ed. São Paulo: Atlas.

Silva, H. de F. N., Arboit, A. E., Garcia, A. K. & Rigoni, C. F. (2012). As contribuições relativas ao uso de eventos/fóruns para constituição de comunidades de práticas e expressão da inteligência coletiva: o caso da Bibliocontas. Perspectivas em Ciência da Informação, 17(3), 100-120.

Silva, K. A., Saeger, M. M. de M. T., Andrade, T. de S. & Zampier, M. B. (2017). O uso de blogs enquanto espaços colaborativos para a produção e o compartilhamento da informação na área de Secretariado Executivo. Revista de Gestão e Secretariado, [São Paulo], 8(3), 224-248.

Silva, L. J. da. (2011). A contribuição do blog nas etapas do processo de gestão do conhecimento. (Dissertação de mestrado). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Terra, C. F. (2018). Mídias sociais...E agora? O que você precisa saber para implementar um projeto de mídias sociais. São Caetano do Sul, SP: Difusão Editora.




DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v10i3.1031

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Raul Vitor Oliveira Paes, Joyce Magno Rodrigues, Priscila Eny Souza Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeSec - Revista de Gestão e Secretariado | São Paulo, São Paulo, Brasil | e-ISSN:2178-9010

Para referências:

R. G. Secr., GESEC.

Esta Revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia